fbpx

Advogado osvaldocruzense conquista anulação de questão do Exame Unificado da OAB

Advogado osvaldocruzense conquista anulação de questão do Exame Unificado da OAB

Kaio Giroto, advogado de Osvaldo Cruz conquistou a anulação de uma questão da prova tipo 2 do Exame de Ordem Unificado, da OAB (Organização dos Advogados do Brasil), onde havia falta de informações no enunciado, e, por isso, poderia prejudicar os participantes. A questão era de número 76. O pedido veio fundamentado entre o edital

Kaio Giroto, advogado de Osvaldo Cruz conquistou a anulação de uma questão da prova tipo 2 do Exame de Ordem Unificado, da OAB (Organização dos Advogados do Brasil), onde havia falta de informações no enunciado, e, por isso, poderia prejudicar os participantes. A questão era de número 76. O pedido veio fundamentado entre o edital do exame e o conteúdo solicitado.

Uma das candidatas pediu a anulação da questão e foi concedida. Antes disso, houve discussões sobre o assunto que tiveram início após o término da prova e tomou conta das redes sociais. Quem atendeu o pedido foi o juiz federal Fábio Bezerra Rodrigues da 5ª Vara Federal de Presidente Prudente.

Em entrevista ao Evidenciador, Kaio mencionou que o exame da OAB é conhecido por todos, justamente por ser indispensável para o exercício da profissão. “Ocorre que no penúltimo exame surgiram muitas inconsistências na prova e isso acabou prejudicando a maioria dos candidatos em todo o Brasil. Em um primeiro momento a própria OAB e a FGV reconhecerem os erros e anularam 5 questões de ofício. Mas mesmo diante disso alguns colegas ainda não puderem ser promovidos para a segunda fase”.

Foi determinado pelo juiz federal que a Ordem dos Advogados fizesse a revisão da prova feita pela impetrante e se tivesse alcançado a nota necessária, que avançasse para a segunda fase que acontecerá no dia 12 de dezembro.

As inconsistências e erros foram levados ao Poder Judiciário, onde foi impetrado um mandado de segurança e o julgamento ocorreu na semana passada. “O juiz acolheu nossos pedidos e anulou uma das questões, fazendo com que o candidato que estivesse com 39 pontos passasse a ter 40, podendo realizar a segunda fase. Decidimos fazer justamente para ajudar os colegas prejudicados, pois, estavam esperando a prova há muito tempo, adiada diversas vezes por causa da Pandemia e não podiam esperar mais, muito menos concordar com esses equívocos. Ficamos muito feliz com a notícia. É um fato inédito e muito difícil de acontecer. Além disso, serve como precedente para que candidatos de todo o Brasil possam utilizar a seu favor”, finalizou o advogado.

Pâmela Pires

Evidenciador
ADMINISTRATOR
PERFIL

Deixe um comentário

Seu endereço de email não vai ser publicado. Campos obrigatórios são marcados com *